A primeira tatuadora dos EUA: conheça Maud Wagner

Nascida no Kansas em 1877, Maud Wagner foi a primeira tatuadora dos Estados Unidos. Ela começou sua vida adulta como artista de circo, trabalhando em vários circos itinerantes. No início de 1900, enquanto trabalhava na Feira Mundial de St Louis como acrobata, trapezista e contorcionista, acabou conhecendo Gus Wagner.

A história dela é inspiradora e, sem dúvidas, continua sendo referência para muitas mulheres até os dias de hoje. Venha comigo conhecer um pouco mais de sua história.

Maud Wagner primeira tatuadora dos eua

A vida no circo antes e depois das tattoos

Não demorou muito para que ela ficasse coberta de tattoos, tornando-se uma atração de circo – uma mulher tatuada. Margo DeMello comenta em Inked, Tattoos and Body Art Around The Word,  que as tattoos de Maud eram ‘típicas do período’ e consistiam em ‘tattoos patrióticas’ e ‘tattoos de macaco, borboletas, leões, cavalos, cobras, árvores, mulheres’ . 

Maud também teria seu próprio nome tatuado no braço esquerdo. Mulheres tatuadas eram uma ocorrência regular em espetáculos de circo; uma mulher mal vestida com seu corpo permanentemente alterado pela tinta era um espetáculo.

Esse fato, inclusive, está descrito no livro Bodies of Subversion, de Margot Mifflin, que fala a respeito do lado secreto da história feminina das tattoos.

Maud Wagner e Gus Wagner

Maud Wagner e Gus: a importância para o movimento das tattoos

Gus e Maud se casaram e mudaram de circos para casas de vaudeville menores.   Eles são frequentemente reconhecidos por trazer a arte da tatuagem para o interior das cidades e vilas costeiras onde os costumes e práticas começaram.    Esse movimento de cultura da tattoo permitiu que as habilidades fossem compartilhadas entre os locais e serviu para ajudar a disseminar amplamente a tatuagem pelo país.

A arte do "Stick and Poke"

Assim como Gus, Maud também usava exclusivamente o método manual de Stick and Poke ou Hand Poked como é chamado nos dias de hoje e traduzido é algo como “espetado à mão”.

Surgida há milhares de anos, a técnica da tattoo sempre envolveu a utilização de um objeto pontiagudo para marcar a pele, ponto a ponto, com algum tipo de pigmento.

E apesar do fato de que as máquinas de tatuagem estavam se tornando amplamente disponíveis e frequentemente usadas por outros artistas, Maud manteve o estilo stick and poke até o fim. Após seu sucesso em dominar a habilidade, ela a passou a arte também para sua filha, Lovetta.

Família de Maud Wagner

Curiosamente, Maud se recusou a deixar Gus tatuar sua filha. Isso resultou em Lovetta sendo uma das poucas tatuadoras a nunca ter sido tatuada; um relato sugere que Lovetta decidiu que se ela não pudesse ser tatuada por seu pai, então ela não seria tatuada por ninguém.

Para sempre uma das maiores tatuadoras que já existiu

Maud morreu em 1961 depois de muitos anos sendo uma das poucas tatuadoras femininas em seu país, e sem dúvida ela enfrentou dificuldades por ser uma mulher em um território onde apenas o trabalho masculino era percebido. .    Maud e Gus também foram dois dos poucos tatuadores a se tornarem famosos pelo trabalho com stick and poke; e é provável que Maud seja a única tatuadora feminina a alcançar tamanho renome com o estilo.    Ela morreu como uma das tatuadoras mais famosas de sua geração; um legado que sobreviveu através de Lovetta, cuja última tatuagem foi concluída usando o stick and poke no tatuador e colecionador, Don Ed Hardy.   Mas além de sua filha, seu legado como uma mulher tatuadora é algo que todas nós, profissionais dessa arte, carregamos com orgulho.
Gostou da matéria? Confira nossa blog! Temos muitas outras curiosidades interessantes, dicas de tattoo e muito mais. Além disso, caso esteja pensando em uma nova tatuagem, basta apertar o botão abaixo e ser feliz.